O núcleo em torno do qual todas as distribuições são criadas é o kernel Linux. Ele é a camada entre os programas de usuários e o hardware do sistema. O Gentoo provê aos seus usuários diversos possíveis fontes do kernel.

Para sistemas baseados em x86 o Gentoo recomenda o pacote sys-kernel/gentoo-sources.

Escolha um fonte do kernel apropriado e instale-o usando o emerge

emerge --ask sys-kernel/gentoo-sources

Isso irá instalar os fontes do kernel Linux em /usr/src/ no qual um link simbólico chamado linux estará apontando para o fonte do kernel instalado:

ls -l /usr/src/linux

lrwxrwxrwx    1 root   root    09 Oct 17 11:04 /usr/src/linux -> linux-4.9.34-gentoo

É chegada a hora de configurar e compilar os fontes do kernel. Há duas formas de se fazer isso:

Configurar manualmente um kernel é geralmente visto como o procedimento mais difícil que um usuário Linux pode fazer. Nada mais falso – depois de configurar algumas vezes o kernel ninguém irá se lembrar que era difícil.

Porém, uma coisa é verdade: é vital conhecer o sistema quando um kernel é configurado manualmente. A maioria das informações pode ser coletada fazendo emerge no sys-apps/pciutils que contém o comando lspci

emerge --ask sys-apps/pciutils

Uma outra fonte de informação do sistema é executar o lsmod para ver quais módulos do kernel o CD de instalação usa pois isso pode dar dicas sobre o que habilitar.

Agora vá para o diretório dos fontes do kernel.

cd /usr/src/linux
make defconfig # olddefconfig, dependendo da etapa que vc está
make menuconfig
make # use -j 2 , se vc possui um processador com 2 núcleos, isso agiliza a compilação
make modules_install
make install

Depois baixe e compile o grub (ou o lilo), configure e instale-o! Case deseje você também pode usar o genkernel!

Assista o vídeo

https://www.kernel.org/

https://www.gentoo.org/

Faça nosso curso gratuito de Shell Bash e adquira todo conteúdo nesse link

http://www.terminalroot.com.br/shell/

Deixe seu comentário!