Blog Linux Carros

A plataforma open-source

Automotive Grade Linux poderia ser a resposta ao cenário fragmentado e, muitas vezes, frustrante dos atuais sistemas operacionais automotivos.

Projeto da Linux Foundation, o AGL está atualmente focado em fornecer um sistema operacional para consoles infotainment em veículos. Mas seus apoiadores preveem um sistema operacional que consiga controlar uma série de instrumentos, além de conseguir lidar com recursos desde carros conectados a veículos autônomos.

As principais montadoras de veículos, incluindo aí Toyota, Honda, Mazda, Nissan, Subaru, Mitsubishi, Ford e Jaguar Land Rover, integram o projeto AGL.

Gerente geral do projeto Automotive Grade Linux na Fundação Linux, Dan Cauchy, explica que montadoras perceberam que elas estão atrás em relação a indústria de eletrônicos destinada a consumidores finais. Isso fica bem claro quando se fala da experiência interativa espelhada no painel de carros.

Compare um sistema de navegação de um carro médio (com uma interface touchscreen) a um smartphone moderno Android e iPhone. Ele será mais lento, mais desajeitado, e não chegará nem perto do ecossistema de aplicativos de um dispositivo móvel.

Sem falar que tais sistemas para carros custam geralmente US$ 1 mil ou mais, o que os tornam muitas vezes mais caros que os smartphones top de linha.

A Apple e Google estão abordando isso por meio do CarPlay e Android Auto. Ambos sistemas funcionam da mesma forma – o smartphone replica todas suas funções no painel do carro. Mas isso não resolve o problema para montadoras, que ainda precisam de um sistema operacional para seus painéis, mesmo que elas queiram dar suporte para o CarPlay e Android Auto. Elas também precisam de uma solução para aqueles clientes que não quiserem conectar seus telefones aos sistemas do carro. Da mesma forma, montadoras prefeririam oferecer suas próprias experiências, ao invés de entregarem completamente tais funções para o Google e Apple.

Mas tais sistemas infotainment integrados aos carros estão apenas no início. O Automotive Grade Linux continuará a expandir para fazer mais coisas, disse Cauchy. O AGL é desenhado para ser uma plataforma única para a indústria automotiva – similar ao que o Android fez para a indústria de smartphones. Como o Android, o projeto todo é gratuito, um software open-source que qualquer pessoa pode fazer uso.

A característica open-source é chave aqui. Ao invés de montadoras subcontratarem o software para uma companhia que oferece códigos exclusivos que apenas funcionam em um modelo de carro, eles estão construindo uma plataforma de software que pode ser adicionada e depois reusada. Isso significa que haverá um ecossistema de aplicativos em comum para desenvolvedores de aplicações terem como foco.

Via: Computer World