Fora Temer Golpista Blog Linux

Para vazar segredos da NSA, Edward Snowden é bastante cuidadoso. Além de enviar e-mails criptografados, ele usa uma versão supersegura do Linux chamada Tails, que cabe em um pendrive USB e pode ser usado em qualquer computador sem deixar rastros.

O Tails é feito para manter a privacidade e anonimato do usuário, mais do que qualquer outra versão do Linux para pendrives. (Ele também pode ser instalado em um DVD ou cartão SD.)

No sistema, toda conexão à internet passa pela rede Tor, redirecionando o tráfego de forma que ele não possa ser rastreado de volta até você. E-mails são criptografados através de OpenPGP, enquanto as mensagens de bate-papo usam o Off-the-Record para tanto. E um plugin força o navegador a usar conexões HTTPS sempre que possível.

Nenhuma informação é salva no computador, a menos que você peça isso explicitamente – tudo fica na memória RAM e é apagado quando você desliga o PC. E todo o sistema é criptografado em disco. A ideia, segundo os criadores do Tails, é burlar a censura e usar a internet de forma realmente anônima.

Os desenvolvedores por trás do sistema operacional permanecem anônimos: eles dizem à Wired (via e-mail) que isso ajuda a evitar interferência de governos no projeto. Mas será que o Tails não poderia ser um projeto do próprio governo americano? Provavelmente não:

Um dos vazamentos de Snowden mostra a NSA reclamando do Tails em um slide de PowerPoint; se ele é ruim para a NSA, é seguro dizer que ele é bom para a privacidade. E todo o código do Tails é open source, para que possa ser inspecionado por qualquer um preocupado com falhas.

Mesmo assim, o sistema pode ser vulnerável em alguns casos, como os desenvolvedores deixam claro aqui . A ideia é usá-lo apenas para atividades que requeiram anonimato; senão, você acabará usando um serviço que pode ser ligado à sua identidade.

Se você quiser experimentar o Tails, são três passos:

Via: GIZMODO